SEJA VOLUNTÁRIO

quinta-feira, 9 de novembro de 2017

5 MENTIRAS CONSENTIDAS PELO GOVERNO NO PARCELAMENTO DO 13°




1ª) Vários representantes do Governo dizem que não há parcelamento de 13° salário. Mas no próprio Projeto de Lei assinado pelo  Governador ele diz que por falta de dinheiro vai  pagar em 6 parcelas o 13°, a partir de janeiro de 2018.

2ª) Quando admitem, afirmam que o parcelamento  é por não ter dinheiro, no entanto não comprovam isso e pelos dados da Secretaria da Fazenda houve crescimento na arrecadação.

3ª) Eles dizem ainda que o servidor para receber o 13° integral é só ir ao Banese pegar o valor em forma de um empréstimo que o Governo é quem vai pagar. Na verdade o trabalhador está realizando um procedimento  adiantamento de 13°como outro qualquer, e as parcelas serão descontadas todo mês de sua conta, mesmo que o governo atrase os repasses das 6 parcelas do 13° a partir de janeiro de 2018;

4ª) Eles afirmam que o Governo criou um abono  de 12,75% para pagar os juros do empréstimo que o servidor vai fazer; Mas esse empréstimo pode ter juros de mais de 18% não havendo garantia de que o abono cobrirá todo o juros do adiantamento das 6 parcelas do 13°;

5ª) Eles informam que todos os servidores poderão fazer esse empréstimo e adiantar as 6 parcelas do 13°. Na verdade o servidor pode ser impedido de fazer isso caso esteja com o nome "sujo" ou sem margem para fazer empréstimos. Além disso quem não receber pelo Banese não tem garantia de que seu banco irá oferecer o serviço de adiantamento das 6 parcelas do seu 13°.

Procure a Lei aprovada e verá, que nem nela nem em qualquer documento oficial do Governo está escrito que ele é quem vai pagar os empréstimos dos servidores,  assim como nenhuma das outras garantias  que estão sendo divulgadas na internet e na imprensa por políticos e aliados. Porque não existem! São mentiras CONSENTIDAS pelo Governo para amenizar seu desgaste por mais esse desrespeito aos servidores e à população!


Hebert Pereira(REDE) - Em sua defesa!

quarta-feira, 8 de novembro de 2017

É! NÃO DEU PARA A OPOSIÇÃO: SERVIDORES RECEBERÃO O 13º PARCELADO!




Membros do Governo e assessores tem se esforçado para desqualificar a luta dos deputados da oposição para que os servidores não recebessem o 13° salário PARCELADO em 6 vezes.

Eles distorcem o discurso e o esforço dos deputados que votaram contrário ao parcelamento, tentando passar que a oposição não queria que os servidores recebessem o 13°.

Mas não adianta, os servidores não são bobos e já viveram essa história por duas vezes. Sabem que terão novamente que ir ao banco pedir empréstimo para receber o adiantamento do 13° salário que o Governo vai pagar em 6 parcelas a partir de janeiro de 2018.

O mais engraçado é ver os assessores e líderes do Governo dizerem que não existirá parcelamento, quando no próprio projeto de lei o governador afirma isso e assina embaixo.

O desespero desse grupo político com o desgaste de sua má gestão é tão grande que já está causando efeito colateral, só não sei se é amnésia, devaneio ou escrizofenia moral!


Hebert Pereira - Rede Sustentabilidade

terça-feira, 7 de novembro de 2017

MARIONETES DO GOVERNO NA PEDALADA FISCAL




Pela terceira vez, o Governo de Sergipe encaminha um Projeto de Lei para a Assembleia Legislativa tentando driblar a Lei de Responsabilidade Fiscal, que proíbe, em seu artigo 36, um banco público de financiar os gastos do governo que o controla e não permite, por exemplo, que o Governo do Estado pegue um empréstimo no BANESE para pagar o 13º dos servidores estaduais.


Caso fizesse isso, o Governador estaria cometendo um crime de responsabilidade, popularmente conhecido como “pedalada fiscal”. Mas como a criatividade não tem limites e a esperteza supera a Lei, o governo criou uma manobra para conseguir o mesmo efeito prático de um empréstimo, “sem colocar o pé no pedal”. Para isso, está usando os servidores como “as marionetes da pedalada fiscal.”




Pois, como não pode contratar diretamente um empréstimo junto ao BANESE para pagar o 13º dos servidores integralmente em dezembro, o Governo irá usar os servidores para fazer isso por ele, ao parcelar seus 13º e obrigá-los a pegarem um empréstimo no valor integral que receberiam.

Como o Governo por Lei não pode diretamente pagar ao banco as parcelas do empréstimos feitos pelos servidores, essa parcelas serão descontadas das 6 parcelas de 13º que serão creditadas na conta dos trabalhadores a partir de janeiro de 2018.

E os juros desse empréstimo, como também não poderão ser pagos pelo Governo diretamente ao banco, através do Projeto de Lei 189/2017 enviado para a Assembleia Legislativa, o governo criar um abono (um dinheiro a mais) a ser repassado para os servidores, a fim de que eles paguem os juros ao Banco.

Um belo jeitinho de o Governo dizer que está pagando o 13º integralmente, usando o servidor de marionete para pegar o empréstimo que eles não podem contrair e ainda os próprios servidores serem os únicos responsáveis por juros ou multas por atrasos nos pagamentos das parcelas caso não venham a ser depositadas no prazo do contrato, já que não existe nenhuma tratativa entre o Governo e o Banco, nem qualquer garantia no Projeto de Lei de que o Governo vai arcar com juros ou multas se ele mesmo vier a atrasar o pagamento das parcelas ou do abono aos servidores.

Com esse Governo que não cumpre os prazos de pagamento alegando crise como podemos confiar?


Hebert Pereira (REDE Sustentabilidade) - Em sua Defesa!

MAIS UMA VEZ O GOVERNO DESABA E CAUSA PREJUÍZO SOCIAL





MAIS UMA VEZ O GOVERNO DESABA JUNTO COM UMA GRANDE ESTRUTURA DE SUA RESPONSABILIDADE POR FALTA DE MANUTENÇÃO!

Em 8 de maio de 2015 a ponte de Pedra Branca, em Laranjeiras, desabou quando algumas pessoas passavam montadas em cavalos, vitimando-as e os animais. O laudo técnico divulgado em outubro de 2015, pelo Conselho Regional de Engenharia e Agronomia de Sergipe (Crea/SE) afirmou que o desabamento da ponte foi causado por falta de manutenção por parte da Companhia Estadual de Saneamento (DESO), responsável pela conservação da estrutura.




Agora desaba outra grande estrutura administrada pelo Governo Estadual. Uma caixa d'água, que atingiu uma escola deixou dois estudantes mortos e vários feridos na tarde desta segunda-feira (06), na cidade de Nossa Senhora das Dores. E mais uma vez aparentemente causado causado por falta de manutenção por parte da Companhia Estadual de Saneamento (DESO).

É lamentável esse episódio repentino mas que parece não ser simples obra do acaso. Pois são latentes os indícios de negligência e de sucateamento da Companhia Estadual de Saneamento, e há quem diga que esse sucateamento é proposital, pois o suposto interesse na sua venda, tem feito inclusive o próprio Governador fazer questão de ir para imprensa criticar a empresa de saneamento cuja gestão é de responsabilidade de seu próprio governo, ao invés de empreender esforços para melhorar sua gestão  a fim oferecer segurança e um melhor serviço à população.

Se isso é verdade ou não, o fato é que Sergipe está sendo administrado por quem não demonstra capacidade de cuidar das pessoas nem do patrimônio estadual. E que sequer tem vergonha de assumir incompetência para gerir sua própria empresa estatal, taxando-a de ineficiente, quando a ineficiência é de todo governo, que além do desabamento literal, vem fazendo Sergipe despencar na saúde, na educação, na segurança, na assistência social e ocupar as piores posições no ranking nacional.

Hebert Pereira(REDE) – Projeto Vereador Sem Mandato